ROLETA RUSSA


23/09/2009


Escrito por andre amorim às 17h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

DIAS QUENTES

Desde o dia sete de setembro que a capital baiana vive uma onda de vandalismo, queima de ônibus, ataques a módulos policiais; será que é a terceira guerra mundial? Parece-me que sim, e está longe de acabar, pois, hoje vinte e dois de setembro de 2009 mais um ônibus foi incendiado. Isso denota a incapacidade que o governo tem para fazer segurança pública, pois, essa palavra conjunta é muito mais ampla do que se imagina, e mais, não está só restrita aos meios policiais, que são a última investida do estado, porque todas as outras, tais como: saúde, moradia, educação tiveram insucesso.

A cúpula da secretaria de segurança pública (SSP), na pessoa do secretário Cesar Nunes disse que já sabia que esse tipo de ataque estava por vim, e que foi em represália a transferência de um traficante de sobrenome campanha, opa! Eu falei de campanha, se nos reavivarmos a memória no que antecedeu as eleições passadas, houve também um caos generalizado com a greve da PM em 2001, e ano que vêm é  de eleição, será coincidência?

Voltando ao são João antecipado, sim porque você não sabe onde será a próxima fogueira, especialistas e integrantes o sistema de segurança pública dizem não ter nenhuma ligação com os atentados ocorridos no início do mês, e a iniciativa de transferir 14 homens ligados ao traficante parece não ter surtido muito efeito no intuito de cessar essa queima de ônibus e a tensão dos moradores da cidade. O crime organizado já vem mostrando suas facetas há muito tempo, e começou a aparecer na mídia de uma forma mais veemente quando o traficante chamado perna era mantido na penitenciária lemos de brito com todas as regalias, e pasmem: coma chave da cela na sua posse!

A solução para a problemática da violência não está nos meios de repressão do estado, e sim como disse no início, que se faz segurança pública, com educação, moradia, saúde,pois, muitas comunidades carentes só recebem a polícia como único órgão do estado a lhe visitá-los. Vivemos numa sociedade cada vez mais capitalista e egoísta no sentido pleno da palavra, preocupado com si próprio e tornando-se cada vez mais robotizados em busca do dinheiro, e esquece quem está de fora desse sistema cruel, e tenta de todas as formas suprir suas necessidades de uma forma legal e limpa, porém não acham espaço, tendo como única forma de expressão, e mais de serem enxergados, é a violência.

 

Escrito por andre amorim às 17h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/09/2009


Escrito por andre amorim às 10h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Era uma vez tranqüilidade

 

Em um tempo não muito distante era possível encontrar senhoras em suas portas batendo o famoso papo de final de tarde, lembro-me como se fosse hoje minha avó na porta de casa com as vizinhas “tricotando” sobre os mais diversos assuntos. Era de costume principalmente na cidade baixa, mais precisamente na penísula itapagipana essa prática interiorana, sem falar do respeito para com os idosos que naquela época existia.

Com o desenvolvimento urbano, veio também o caos e a confusão, e as pessoas mais idosas como meus avós, achariam que essa nova cidade seria melhor para se viver, coitado deles que acreditaram na mudança, só esqueceram de avisá-los que foi para pior, deve ser por isso que não tem mais ânimo de assistir um jornal e andam assustados cada vez que tenho que botar o pé na rua, ficam imaginando que posso voltar queimado ou nem mesmo retornar. Todos os dias escuto deles:ai que saudade daquele tempo, ônibus queimado nunca existiu, ai se pudéssemos voltar o tempo”!.

Vemos o desenrolar de uma guerra sem fim, em que a bandidagem toma conta cada vez mais da nossa cidade, aliciando jovens que na maioria das vezes estão começando sua juventude, e são seduzidos pela vida fácil do crime, e as regalias que ela traz como dinheiro, financiando o consumismo exacerbado pregado pela mídia, pois, num processo natural eles os “excluídos” tentam conseguir um emprego que lhes proporcione quem sabe comprar um tênis legal, sem contar a situação financeira que vive os pais; nesse beco sem saída aparece a figura do traficante, que dá a “possibilidade” de colocar dinheiro em casa para saciar a fome da família.

Escrito por andre amorim às 10h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

10/09/2009


BAIANO NÃO GOSTA DE TRABALHAR?

Não é a primeira vez que vc deve ter ouvido essa expressão não mesmo?. ou ainda que o baiano é preguiçoso, que a Bahia é um estado disrfaçado de gravadora.... para o começo dessa história vamos nos lembrar que o Brasil nasceu aqui na Bahia, e que foi a primeira capital do país, porém com a emancipação político- social esse posto de capital foi levado a mares diferentes, mais precisamente o Rio de Janeiro. De certo que sabemos fazer festa ou "balada" como eles lá nos estados do sul chamam, e que alguns "baianos" importaram essa expressão, mais baiano que é baiano diz que vai pra putaria, pra fara, pro reggae, mais nem só disso vive o baiano. Nosso cotidiano é de muito trabalho, é de acordar cedo pra burro e pegar realmente no batente nas mais diferentes profissões e nas mais inusitadas, pois, a criatividade nossa para ganhar o pão de cada dia extrapola o limite do convencional, basta dar uma volta pelo útero da cidade e vc vai notar o que eu digo, nossa diferença em relação a outras capitais é que realmente vivemos a vida e olhamos ela de um ponto de vista diferente, sem muita pretensão: nós sabemos fazer as duas coisas muito bem, trabalhar e fazer festa!!.

Vivemos numa cidade em que culturas diferentes fervilham a todo tempo nesse caldeirão, e todos fazem com que essa "mistura" funcione perfeitamente, e não é atoa que a Bahia, mais precisamente Salvador é uma das cidades mais procuradas pelos turistas de todo o mundo, que ao chegarem se encantam com a cultura e com o povo da terra, e muitos deles resolvem ficar aqui, pois, reconhecem que o lugar tem um ar diferente e para não dizer quando acham suas paixões aqui na terrinha. Mas para sustentar tanta festa, abadá... têm que realmente trabalhar e muito, e vc que acabou de ler esse pequeno texto ficou se perguntando qual é a receita do povo da Bahia? venha conferir e quem sabe vc descobre esse tempero!.

Escrito por andre amorim às 11h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/09/2009


Escrito por andre amorim às 19h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Mais uma vez a tônica da violência fica em evidência na capital baiana, o saldo foi quatro módulos metralhados, três policiais feridos e dois ônibus incendiados, tudo isso em represália a transferência do traficante Claudio Eduardo Campanha. A "campanha" foi bem articulada, visto que o secretário de segurança pública Cesar Nunes afirmou não ter sido pego de surpresa, já que o serviço de inteligência da pm tinha informações desde sábado sobre a possibilidade dos ataques, segundo Nunes após o ataque o policiamento foi reforçado. Só após o fato é que se reforçou o policiamento, ora já que havia esta informação por quê não foi "reforçado" antes?. A policia baiana parece dormir quando se fala em atitudes concretas, e foge as vezes da sua competência que é o policiamento ostensivo, evitando um problema futuro nesse caso. De certo que em comparação as polícias de outros estados está atrasada no que se diz respeito a condições de trabalho, salário, no entanto chega a ser insistente a propaganda governamental de auto - afirmação em prol da "segurança" publica, será que realmente estamos seguros?.

Vale salientar que somos nós, (sociedade) que podemos amenizar esse caos social, com uma melhor educação, não só educação de escola, mais o tartar com outros individuos, oportunidades não só de emprego, mais oportunidade de ser ouvido em meio a esse país capitalista em quer o ter substitue o ser em todos os sentidos.

Escrito por andre amorim às 19h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/09/2009


Escrito por andre amorim às 19h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Mais uma caminhada pela paz, aconteceu hoje dia 1 de setembro percorrendo as ruas centrais do município de Eunápolis. A passeata reuniu cerca de 5 mil pessoas, dentre elas estudantes, funcionários públicos estaduais e entidades civis do município, começando com pedidos de mais segurança para o governador Jaques Wagner, e acabando com críticas ao prefeito José Robério Batista Oliveira. Todos os discursos feitos durante a caminhada foi por mais aparelhamento da polícia, tendo dito o prefeito " Eunápolis está esquecido pelo governo estadual".

Vemos todos os dias na televisão uma propaganda em que o governo do estado mostra "investimentos" na pollícia baiana no que se diz respeito a pessoal, a compra de armamento, um treinamento adequado, enfim dando a entender que o estado da Bahia está seguro. No entanto acontecimentos como esse de Eunápolis, o movimento dos policiais militares por uma busca de melhores salários que vem se arrastando desde a greve de 2001, os fatos e acontecimentos de uma cidade que são mostrados todos os dias, isso tudo mostra que a escalada da violência está longe de ter uma parada, que dirá um fim. De certo que a tônica de se vender seu peixe funciona quando a população em si desconheçe tal assunto, contudo o governo tenta de todas as formas fazer com que esse "peixe" seja degustado, renegando os acontecimentos relvantes a violência diária e sobretudo achando que o povo é burrro ou cego.

Escrito por andre amorim às 18h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

A partir desse momento irei ataulizar este blog, que foi criado no semestre passado e a proposta do blog quando ele foi criado continua a mesma, porrtanto notícias atuais irão fazer parte destas publicações futuras.

Escrito por andre amorim às 18h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/04/2009


CULTO A BOA FORMA

Escrito por andre amorim às 21h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

CULTO A BOA FORMA

O culto a boa forma, o corpo "malhado" que se deseja alcançar, traz consigo um problema rotineiro: o uso de anabolizantes cada vez mais cedo pelos jovens. Muitos usam esta 'vantagem' para se exigir no carnaval e provocar a violência, pois, um dos efeitos desse tipo de substância é o aumento da agressividade e a impaciência, ou seja, o "pavio curto". Malhação suadável para cuidar do corpo de uma forma natural, através de esportes, exercícios sem o uso de fórmulas mágicas, fazem muito bem a saúde do corpo e da mente, e traz benefícios ao nosso dia a dia.

Cada vez mais cedo, jovens são submetidos a procedimentos cirúrgicos, drenagem de membros superiores, e em alguns casos amputação do mesmo, além do aparecimento de doenças crônicas no fígado, pancreas, e até memso cancêr. A inflência da mídia para obtenção de um corpo no "padrão" atual é de se preocupar,pois, se não tivermos cautela, entramos nesta paranóia e podemos nos prejudicar!

Escrito por andre amorim às 21h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Escrito por andre amorim às 21h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

POLÍCIA JUNTO A COMUNIDADE

Na sexta-feira 17 de abril, das 8h às 12h, na Escola Municipal Arlete Magalhães, em Castelo Branco, a Polícia Militar realiza o projeto Cajaarte na Campanha Contra a Violência/2009, onde diversas oficinas serão montadas na parte interna e externa da escola. Não podemos esquecer que policiais que fazem parte da corporação saem dessa sociedade esquecida pelos nossos governantes, porém esse tipo de projeto mostra que nem tudo está perdido, pois, aproximar a polícia de uma comunidade faz com que a visão, de que ela está ali só para fazer o mal e hostilizar detrminada comunidade caia por terra, uma prova que isso da certo e pode muito contribuir para a melhoria dessa convivência, foi o projeto desenvolvido pelo grupo carioca afroreggae junto com a polícia militar, ambos tocando juntos dividindo o mesmo palco. A questão da violência é social!!!!!

Escrito por andre amorim às 21h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Escrito por andre amorim às 20h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico